quinta-feira, 23 de julho de 2009

eu já não sei

o que fazer quando, por mais que um sentimento te faça mal, vs não consegue se livrar dele? como agir quando nosso coração se aperta e a nossa vontade de chorar se torna incontrolável, e apesar de saber que não vale a pena vs não consegue conter as lágrimas?

segunda-feira, 13 de julho de 2009

quem sou eu

um ser muito do sentimental; carente e por incrível que pareça tímido. tenho sérios problemas de relacionamento, mas acredito que existem pessoas que gostem realmente de mim. tenho problemas com humor mas nada grave. ultimamente tenho me irritado muito fácil; mas nada que chorar um pouco não resolva. em plenos quatorze quinze anos já atormentada e apavorada com esta coisa que chamam de "futuro" - o que pra mim não é nada mais do que a conseqüência do presente. a única coisa que eu realmente não posso deixar de fazer na vida é ter filhos, DEFINITIVAMENTE! me envolvo muito fácil e 90% das vezes quebro a cara, mas não deixo de tentar. sou tranqüila, até demais. mas folga um pouquinho pra ver se eu não parto pra "porrada". não tenho medo de chegar em casa machucada. e sim de chegar machucada e não ter batido na vadia que me irritou - essa não seria eu. as pessoas dizem que sou louca. e eu só acho que aquelas que dizem isso não sabem o que quer dizer "viver a vida". não tenho medo de rir, muito menos de chorar, só adoraria não ter que sofrer mais. talvez esteja querendo demais, é talvez esteja. mas há quem diga que eu vivo reclamando de barriga cheia. fazer o que se o "ser humano" nunca está satisfeito com o que tem? - seja pouco, seja muito. sofro de preguiça aguda e sono excessivo - há quem diga que é normal e há quem diga que não. não tenho um estilo de musica definido - aquela que o DJ tocar e geral dançar serve sabe? mas isso não quer dizer que eu não tenha gosto e opinião formada sobre o que é musica boa. apenas gosto de curtir o momento. mesmo que a musica não tenha letra e a melodia não seja tão agradável. deixo de fazer inúmeras coisas por vários motivos que não sei explicar. deixo as coisas irem até eu realmente ter que me mexer. acredito que não seja muito difícil me compreender e me fazer feliz. um pouquinho de vontade para isso bastaria. infelizmente eu julgo o livro pela capa - e quem não julga? mas se a pessoa me provar que é exatamente o oposto do que eu penso mudo de opinião - o que é muito raro acontecer porque geralmente (não sei explicar como) estou certa sobre as pessoas; e realmente gosto de ver os outros quebrando a cara por não terem me escutado. eu não sei quem sou exatamente. espero descobrir antes de partir. talvez as pessoas saibam melhor que eu. mas eu realmente não quero saber o que certas pessoas pensam de mim. eu sei o que eu quero, e isso me basta.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Não faz mais sentido [..]

escrever sobre o que se já não se tem amor? escrever pra quem; se quem realmente importa não irá ler? fazer o que se não tenho o poder de deixar tudo do jeitinho que eu quero? sem distancia; sem saudade; sem provocação; sem ciúmes; sem brigas; sem tristeza; sem dor [..]

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Incontrolável.


É sempre assim. sempre estou certa de que te amo; de que preciso de você para viver; de que sem você eu não sou absolutamente nada. mas mesmo sabendo que sem você eu não vivo. acho que não consigo te dar o valor que você merece. eu sempre arruino tudo com minhas atitudes infantis e impensadas. o fato é que no fundo eu tenho tanta certeza de que você nunca irá me deixar que acabo me esquecendo de que as coisas por mais improváveis que sejam podem realmente acontecer. acho que eu preciso sentir que te perdi pra realmente me dar conta do quanto eu te amo. não que eu esqueça disso. mas toda vez que sinto que não te tenho mais é como se toda a paixão que estava guardada vinhesse a tona e eu voltasse a me sentir como naquele dia em que realmente "te conheci". e ai sim me dou conta de que verdadeiramente você é o que eu tenho de mais importante. e que apesar de tudo, tudo mesmo, meu amor por você nunca se vai. o tempo vai passar. e eu vou continuar a te amar.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

sem titulo; sem nexo; sem motivo; sem explicações.


Eu já havia imaginado. mas cheguei a conclusão de que nada vale mesmo a pena. porque perder seu tempo tentando ajudar uma pessoa que não quer e não aceita a sua ajuda? porque continuar a insistir em abrir os olhos de quem não tem maturidade para deixar de ser cego? e é por isso que muitas vezes nos arrependemos de certas coisas. e um dia irei me arrepender de escrever isto aqui. mas no momento me parece a forma mais sensata de demonstrar tudo o que sinto. e eu agradeço imensamente a Deus por não ter que sair à rua por um bom tempo. assim poderei me afundar de vez, sem que ninguém note. talvez eu morra, talvez não. nunca irei saber antes de acordar no dia seguinte. mas no momento tem sido meu desejo mais profundo. porque será que nossos maiores desejos são os mais difíceis de realizarmos? falta de capacidade ou falta de vontade de verdade? impossível dizer. não sei nem como estou viva. só sei que nesse mundo ninguém nunca está completamente certo. e está cada vez mais difícil conviver com o ser humano. parece-me que ao invés de ficar mais astuto ele tem ficado cada vez mas irracional e egoísta. mas o que tem em ser egoísta? nada demais não é mesmo? a não ser pelo fato de que é o egoísmo que está acabando com nosso mundo aos poucos[..]